Entenda como a rotação de Hearthstone funciona, sem mistérios.

Fala galera! Hoje eu estou aqui para explicar mais sobre a rotação das cartas de Hearthstone, mostrar como já foi feito, e como funciona. Se ficar alguma dúvida comente que vamos ajudá-lo a entender.

Há dois anos a Blizzard resolveu que mudaria o jogo implementando as rotações anuais das expansões/aventuras. Na época, todas as cartas que já tinham sido lançadas eram usadas, e tínhamos apenas um modo de jogo competitivo. Ter tantas cartas sendo usadas era um obstáculo para os novos jogadores, e também possibilitava que algumas cartas estivessem na maioria de decks, dificultando até mesmo inovações no jogo.

O primeiro ano em que foi feita a rotação, em abril de 2016, foi o ano do Kraken. As expansões ‘Maldição de Naxxramas’ e ‘Goblins vs Gnomos’ foram as primeiras a se despedir, indo para o chamado de Livre (Wild). Lembrando que na verdade, o modo Livre nada mais é do que o jeito que jogávamos antes, onde todas as cartas podem ser usadas livremente.

Ano passado, 2017, foi o ano do Mamute. Desta vez, as expansões ‘Montanha Rocha Negra’, ‘Liga dos Exploradores’ e ‘O Grande Torneio’, é que foram para o modo Livre. Com tantas mudanças surgiu a necessidade da criação do Hall da Fama, onde algumas cartas, que não entrariam na rotação e que a empresa queria tirar do modo Padrão, foram para o modo Livre.

Estamos em 2018 e com certeza você quer saber (se já não sabe, é claro) quais serão as expansões e aventuras que serão rotacionados, certo? Então lá vai. Este ano, ‘Sussurros dos Deuses Antigos’, ‘Uma Noite em Karazhan’ e ‘As Gangues de Geringontzan’ é que vão sair de circulação do modo padrão. Além disso, teremos anúncios de mudanças no jogo muito em breve, e isso pode levar mais alguma carta para o Hall da Fama, mas nada foi confirmado ainda. E pra ficar ainda mais claro, recapitulando, as expansões ‘Jornada a Un’Goro’, ‘Cavaleiros do Trono de Gelo’ e ‘Kobolds & Catacumbas’ continuam no jogo, no modo Padrão.

Diferenciando rotação anual de Hall da Fama

Quando as cartas são rotacionadas, você continua podendo desfazê-las para obter pó, mas elas continuam tendo o valor dividido por quatro, ou seja, você ainda precisa desencantar quatro cartas da mesma raridade para fazer uma. Considere que a única mudança feita é que a coleção não faz mais parte do modo Padrão do jogo, nada mais.

Já no caso do Hall da Fama, a rotação é tratada de forma parecida com um nerf ou buff. Você recebe o valor total delas em pó e ainda pode desencantá-las por 1/4 (um quarto) do valor delas. Isso acontece por um breve período apenas, e os pacotes da coleção que elas fazem parte já não as dão mais.

Exemplificando, quando as cartas Sylvana Correventos, Ragnaros, o Senhor do Fogo, Draco Lazúli, Poder Esmagador, Ocultar e Lança de Gelo foram para o Hall da Fama, os jogadores ganharam o valor em pó da versão mais valiosa que o jogador tinha (normal ou dourada), na quantidade em que podem ser usadas no deck. E elas ainda podiam ser desencantadas pelo valor de 1/4 (um quarto) do pó.

A pessoa que escolhe Druida em qualquer jogo, sem pensar duas vezes. É jornalista de formação e de coração, e descobriu aqui, neste Mundo de Eluna, um cantinho para desenvolver textos com os assuntos que gosta. Finalmente pegou rank #legend em HS e continua procurando raides no WOW de vez em quando.